Perdão é de ti para ti, porque cabe ao outro perdoar-se

Peço perdão a mim mesmo

Por me sentir ofendido, magoado, ignorado, e que mais.

Porque o perdão é de mim para mim, para que eu possa e saiba lidar com a situação. Para que aprenda a lidar com melhores e mais nobres sentimentos dentro de mim.

Porque o que faço, digo ou sinto é responsabilidade minha.
Assim como…
Porque o que o outro faz, diz ou sente é responsabilidade dele.

Peço perdão a mim mesmo

Porque a mudança, em mim, só eu posso executar.
Porque a mudança, em mim, só acontece quando eu decido e faço acontecer.

Porque cabe ao outro perdoar-se, como eu me perdoo.

Pede perdão a ti mesmo

Porque é de ti para ti. Porque tal como eu, tu também não és Deus para me perdoar e ou julgar. Isso está além de ti. Ou de mim.
Pede perdão a ti mesmo, porque decides aceitar-te com tudo o que és. Com tudo o que desejas.

E se de repente te sentires em profunda paz.

Acredita!
Conseguiste estar grato e deixaste de resistir à situação. Deixaste de acumular emoções que te desgastam.
Superaste a expectativa que outros tinham à tua reacção. Deixaste de reagir para passar a agir em conformidade. Certo?!

Atingiste o ponto de sublimação momentâneo.

[Agora estás presente no presente]

Agora tens a possibilidade interna de modificar o evento que está a acontecer neste exacto momento.
Deixa de resistir internamente. Deixa que a serenidade tome conta da tua mente condicionada por padrões, e permite que ela tome consciência do momento.

Sentirás a diferença.
Notarás um sorriso subtil nos teus lábios. E isso é tão bom!
Atingiste o poder. Poder sobre ti, nunca sobre os outros.
Deixaste de ser vulnerável à situação, ao evento, à pessoa. Aprendeste a tranquilizar a tua mente e a confiar em ti.

Agora sim! Estás a “crescer”. Isso é Superação (clica aqui para saberes mais)


Vive a Vida Livre Como Desejas e Gostas Para Além dos Teus Sonhos

Vive a Vida Livre

Simples assim. Como Walt Whitman dá texto ao famoso Carpe Diem. 
Por mais que possa ter acontecido, por tudo o que possa vir a acontecer.

Nunca. Mas nunca mesmo, deixes de aproveitar o dia. Ou melhor… de “colher o dia”. Não é o “chutar para canto” e que se lixe. Nada disso.


​É ver em cada momento a beleza da natureza, de Deus.

É estar grato por todos os desafios superados.

 

Mas principalmente é saber de quem sabe com certeza que todos os desafios, passados e futuros são honras dadas apenas aos capazes.


E capazes somos todos nós. Acredita em ti. Como sempre acreditaste. Desde o primeiro momento em que venceste milhares de concorrentes e conquistaste o pódio de viver esta vida.

“Aproveita o dia,
Não deixes que termine sem teres crescido um pouco.
Sem teres sido feliz, sem teres alimentado teus sonhos.

Não te deixes vencer pelo desalento.
Não permitas que alguém te negue o direito de expressar-te, que é quase um dever.
Não abandones tua ânsia de fazer de tua vida algo extraordinário.

Não deixes de crer que as palavras e as poesias, sim, podem mudar o mundo.
Porque passe o que passar, nossa essência continuará intacta.
Somos seres humanos cheios de paixão.

A vida é deserto e oásis.
Nos derruba, nos lastima, nos ensina, nos converte em protagonistas de nossa própria história.
Ainda que o vento sopre contra, a poderosa obra continua, tu podes trocar uma estrofe.

Não deixes nunca de sonhar, porque só nos sonhos pode ser livre o homem.
Não caias no pior dos erros: o silêncio.
A maioria vive num silêncio espantoso. Não te resignes, e nem fujas.

Valoriza a beleza das coisas simples, se pode fazer poesia bela, sobre as pequenas coisas.
Não atraiçoes as tuas crenças.
Todos necessitamos de aceitação, mas não podemos remar contra nós mesmos.
Isso transforma a vida em um inferno.

Desfruta o pânico que provoca ter a vida toda a diante.
Procura vivê-la intensamente sem mediocridades.
Pensa que em ti está o futuro, e encara a tarefa com orgulho e sem medo.

Aprende com quem pode ensinar-te as experiências daqueles que nos precederam.
Não permitas que a vida se passe sem teres vivido…” (Walt Whitman)